Notícias, artigos e eventos do universo Projedata.

05 de setembro de 2018 -

Gerações X, Y e Z: desafios associados ao uso da internet

Os desafios associados ao uso da internet têm sido abordados com grande frequência em todo o mundo. Não somente os relacionados à segurança digital, apesar de ser uma das principais dores dos gestores em vista dos frequentes ataques ransomware. Outras principais causas, no entanto, dizem respeito à disponibilidade do recurso e produtividade do time.

A cada dia que passa, o mercado de trabalho se torna mais competitivo e a esfera organizacional mais diversificada. Logo, a personalidade dos colaboradores, e consequentemente da equipe, é alterada. Por isso, é vital que os gestores saibam como estabelecer um método efetivo de comunicação com o time de colaboradores, ou seja, com as gerações X, Y e Z – os membros predominantes no ambiente profissional hoje em dia.

Saiba quem são as gerações X, Y e Z

Desde o século XX, essa forma de categorização vem ganhando destaque. Alguns especialistas acreditam que não seja o melhor jeito de agrupar indivíduos, mas é amplamente utilizada por apresentar uma forma de “rotulação” mais precisa. Ao contrário de apenas uma definição por sexo e idade, estas gerações abrangem critérios como o contexto social, moral, político e econômico vigentes na época de nascimento dos indivíduos.

As primeiras gerações concebidas foram a Perdida (1883 – 1900), Grandiosa (1901 – 1924) e Silenciosa(1925 – 1942). Elas viveram grandes períodos da história, que passaram pela Primeira e Segunda Guerra Mundial, a Grande Depressão e a explosão demográfica – o que levou à elaboração de uma nova geração: a dos Baby Boomers (1943 – 1964).

Nas primeiras formulações a respeito dessas gerações, era comum que a cada 25 anos fosse feito esse tipo de definição. Mas hoje, com a globalização e a evolução da tecnologia, o processo passa a ser mais rápido. Alguns profissionais, inclusive, falam que uma nova geração pode surgir a cada década.

Após o Baby Boom, então, nasce a geração X. São indivíduos mais comprometidos com o trabalho, além de batalharem por seus direitos profissionais e pessoais. Por conseguinte, são pais da geração Y, um grupo que recebeu estímulos paternais e prosperidade por causa da estabilização econômica da época. Como resultado, desenvolveram uma perspectiva mais questionadora e apresentam grande conectividade digital.

Por fim, temos a geração Z. São os jovens que hoje ingressam, pouco a pouco, no mercado de trabalho e, assim como as gerações anteriores, mudam a dinâmica do ambiente profissional. Portanto, é imprescindível que os gestores saibam como se relacionar com essas pessoas individualmente e estabelecer objetivos que visam não somente o crescimento organizacional, mas profissional dos próprios colaboradores.

Para compreender melhor o conjunto de qualidades e atributos das gerações presentes no ambiente corporativo, sugerimos a leitura do e-book “Geração X, Y e Z: entendendo o perfil dos profissionais que vem tomando o mercado de trabalho”. Com o material, é possível visualizar o panorama geral desses indivíduos e identificar padrões que podem contribuir para o aperfeiçoamento da gestão empresarial e da comunicação no time de colaboradores.

Alguns desafios associados a gestão de uso da internet

Muitas empresas, de todos os segmentos e portes, estão inseridas no meio virtual e precisam dos recursos da internet para realizar suas principais atividades. Nesse contexto, jovens-adultos e adultos das gerações X, Y e Z, altamente conectados, podem se tornar dispersos como resultado de suas principais características e anseios. Essa dispersão acaba gerando alguns transtornos para gestores e analistas, trazendo desafios relacionados a melhor forma de disponibilizar o recurso de internet aos colaboradores.

Alguns desses transtornos podem estar relacionados à produtividade do time. Isso acontece, entre muitos outros fatores, pela oportunidade de navegação “livre” dada pela empresa. Plataformas sociais e portais alternativos, por exemplo, podem consumir tempo útil do profissional e acabar afetando suas demandas diárias. Mas esse não é o único problema; alguns conteúdos explícitos, como de teor adulto ou preconceituoso, podem afetar negativamente o clima organizacional, além de ser considerado crime.

Portanto, o controle do uso deve ser composto por orientações claras, explicitadas através de política para o uso da internet, construída, em conjunto, por direção e liderados. Aqui se reforça a necessidade de conhecer quem está no time de colaboradores e quais seus anseios, pois facilitará a resolução de problemas associados ao uso inadequado da internet.

Esses desafios, como mencionado, também dizem respeito a segurança na internet e a disponibilidade do recurso. A geração Z, partindo como exemplo, é formada por indivíduos críticos, dinâmicos e, acima de tudo, imediatos. Essa rapidez em processar informação também aguça outros sentidos, como a curiosidade e o desejo por conhecimento. Isso pode transformar o usuário em uma isca para os diversos tipos de ameaças na internet ou, visto de outro ângulo, causar indisponibilidade da web para outros setores da instituição por causa do consumo de banda acima da média.

Felizmente, existem recursos para contornar essas situações. O primeiro deles seria a aprendizagem das particularidades das gerações X, Y e Z, o que simplificaria outros processos de aperfeiçoamento das atividades internas, como o engajamento dos profissionais e a relação entre os times.

Para saber mais sobre o assunto, sugerimos a leitura do e-book “Geração X, Y e Z: entendendo o perfil dos profissionais que vem tomando o mercado de trabalho”. Através dele, é possível analisar todo o panorama a respeito das antigas e novas gerações, como se comportam e o que desejam.

 

Fonte: https://ostec.blog/geral/geracoes-x-y-z-desafios-internet
Voltar